15 de out de 2013

Estou zen demais


Ah, a folha em branco.

A encruzilhada entre mil coisas a fazer e querer fazer nada.

A boa vontade que se extingue quando o desafio é colossal. Eu ando tão Daria pro mundo que nem escrever aqui me reabilita. 

Todas as minhas obrigações andam, eu como, durmo, cumpro meus compromissos. Dou uma força para algumas pessoas, vou à academia três vezes por semana, faço planos, faço artesanatos. Mas nada é muito emocionante, nada me faz suspirar ou me dá frio na barriga. Estou zen demais. Me prefiro estressada, cansada e empolgada com algo grandioso. 

Queria sentir raiva, quebrar algo, explodir. Mas sou contida demais, certinha, organizada. Arrumei uns policiais agora e estão me fiscalizando, não passo mais uma semana sem ter que aparecer ou dar satisfações, não posso me desviar nem um pouco. Gente que gosta de ajudar, de manter a ordem das coisas e quer me manter junto e apelar para minha vaidade para não deixar que eu saia da linha. Se eu questionar me tornarei pária, como sempre acontece comigo. Se eu encarar a brincadeira como desafio já sei que não vou chegar a ponto nenhum que eu aprecie. Vou executar a cartilha e chegar lá, mas vou olhar pra trás e achar tudo superficial e sem sentido, assim como sempre acontece. 

Eu pinto as unhas de azul, pra ver se ganho alguma atitude. Eu como um sabor novo, pra ver se minhas papilas acordam. Mudo umas coisas de lugar, me desapego de outras. Forço para acordar cedo e fazer supermercado. Ser simpática com o porteiro e sorrir é natural. Rir é mais raro, o que me faz rir é irônico, sarcástico, mordaz, rápido, um pouco cruel às vezes. Não o besteirol pleno que grita e balbucia, isso não me dá vontade de rir, dá enjoo. Sinto saudades dos bons humoristas da minha vida, eles estão espalhados mundo a fora e não vou vê-los tão cedo. Encontrar outros é raro, em geral só sorrir já está bom para todos.

Viver entre policiais da boa conduta e a política dos sorrisinhos, sou expert. Ando precisando reaprender a ser um eu que nem sei se existe mais. Esses dias, vi uma foto antiga, eu estava sorrindo, linda. Era uma época ruim, mas eu estava muito feliz queria lembrar o por quê.