17 de set de 2018

Bom dia


Quando caio da cama muito antes do normal, geralmente é por que algo me incomoda e precisa ser escrito. Algo está querendo sair de lá das profundezas da mente.

Há tres dias caio da cama antes das seis horas da manhã com uma manifestação se formando mas que ainda não ganhou linhas identificáveis, um blur, um borrão de ter certeza de que tenho algo a dizer, que está flutuando e que pode se juntar e descer como uma gota de água numa nuvem.

A necessidade de formular e registrar essas pertubações é manifestada pela angústia de estar aqui escrevendo sem rumo. São tantos assuntos, a política, o futebol, a fofoca e os fazeres acadêmicos. Coisas da vida, do universo e tudo mais que podem simplesmente pular de dentro de mim, transbordar e cair gotejando. Contida a torrente, pois se sair muito veloz pode sobrecarregar e estragar tudo que esteja no caminho.

Sei de poucas pistas que podem dar contornos, algumas ainda não relacionadas mas tão presentes que se parecem com peças torneadas que não se faz ideia de onde entram na máquina, são lindas, brilhantes, com formatos atraentes, mas que não acabam em si, são peças, são parte de um todo maior que não identifiquei ainda.

  • Saudade de um gato, não de um específico, mas talvez.
  • Orgulho e egoísmo, sentimentos, pecados e/ou virtudes.
  • Sensação de desordem, como as folhas secas no chão rodando com o vento e sem rumo, enroscando na grade.
  • Uma gota de molho de tomate no teclado que me faz evitar uma letra.
  • Uma vontade de sorrir como Monalisa.
  • Duas vontades, a de correr e a de não me mover.
  • Quinze tarefas, cinco projetos e um guarda-roupa que precisa ser arrumado, também preciso pedir a entrega de água.
  • Incompletude.
  • Alianças a formular e dependências a serem desfeitas/satisfeitas.
  • Tem um cheiro de cravo.

Bem, não parece promissor esse rastreio, faltam muitas especifidades, mas do que é feito o panorama senão dos detalhes? É como ver um fragmento da imagem de cada vez e não poder dizer muito bem se o azul é céu ou água. Fazia tempo que não escrevia.