16 de jun de 2010

Boas-vindas

Muitas e muitas vezes eu pensei em ter um blog, pra falar de coisas legais e me tornar um popstar da internet, mas eu por mim mesma, sendo apenas essa caipira que gosta de coisas não muito bem...gostáveis... mas que se alivia em escrever um texto bem comprido e matar uma aula por semana.

Vários motivos me fizeram desistir de ter um blog. Seria responsabilidade demais com meu público fiel que não tenho ainda... ou então, seria pretensão demais achar que alguém gostaria de ler linhas de um blog de uma louca que só sabe implicar com a vida. Mas a melhor de todas as justificativas é o medo infundado de que tudo que se coloca na internet poderá e será usado contra você num julgamento futuro. Bom, esse tem um fundo de verdade.

Então passei a pensar meu blog. Li dezenas de dicas de como deixar seu blog isso ou aquilo, "tenha um blog temático, use um template adequado, seja antenada e escreva bem. Não esqueça do tamanho ideal para não cansar a leitura. Baboseira, tô escrevendo só pra mim...

Uso pseudônimo, sim eu sei que é covardia, que é me esconder de algo que não deveria, de mim mesma, etc. Sei também que é desleal ou até desrespeitoso com quem lê. Mas antianaliticamente falando, prefiro antianalisar as coisas, deixar meu alter ego falar despretensiosamente sem ser incomodada por amigos, familiares e cônjuge.

Talvez eu conte a meia dúzia de pessoas quem é que escreve nesse blog, mas primeiro devo me assegurar de não escrever nada que vá atingí-las. Devo lembrar de ler as postagens antigas também antes de indicar a alguém.

Nota pessoal: Tem coisas que não se deve escrever, tem coisas que não se deve falar... outras não se deve falar que escreveu.


Assim começa o Antianaliticamente, seja bem-vindo@!